Páginas

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

A Ratoeira

Para iniciar um novo projeto.
- A Ratoeira



Um rato, olhando pelo buraco na parede, vê o fazendeiro e sua esposa abrindo um pacote. Pensou logo no tipo de comida que poderia haver ali. Ao descobrir que era uma ratoeira ficou aterrorizado. Correu ao pátio da fazenda advertindo a todos – Há uma ratoeira na casa, uma ratoeira na casa! A galinha, então, disse:
- Desculpe-me Sr. Rato, eu entendo que isso seja um grande problema para o senhor, mas não me incomoda.
O rato foi até o porco e lhe disse:
- Há uma ratoeira na casa, uma ratoeira!
- Desculpe-me Sr. Rato, disse o porco, mas não há nada que eu possa fazer, a não ser rezar. Fique tranquilo que o senhor será lembrado nas minhas preces.
O rato dirigiu-se então à vaca. Ela lhe disse:
- O que Sr. Rato? Uma ratoeira? Por acaso estou em perigo? Acho que não!
Então o rato voltou para a casa, cabisbaixo e abatido, para encarar a ratoeira do fazendeiro.
Naquela noite ouviu-se um barulho, como o de uma ratoeira pegando sua ví­tima. A mulher do fazendeiro correu para ver o que havia caído na ratoeira. No escuro, ela não viu que a ratoeira havia prendido a cauda de uma cobra venenosa. E a cobra picou a mulher… O fazendeiro a levou imediatamente ao hospital. Ela voltou com febre. Todo mundo sabe que para alimentar alguém com febre, nada melhor que uma canja de galinha.
O fazendeiro pegou seu cutelo (pequeno facão) e foi providenciar o ingrediente principal. Como a doença da mulher continuava, os amigos e vizinhos vieram visitá-la. Para alimentá-los o fazendeiro matou o porco.
A mulher não melhorou e acabou morrendo. Muita gente veio para o funeral.
O fazendeiro então sacrificou a vaca, para alimentar todo aquele povo.
Na próxima vez que você ouvir dizer que alguém está diante de um problema e acreditar que o problema não lhe diz respeito, lembre-se que, quando há uma ratoeira na casa, toda a fazenda corre risco.
O problema de um é problema de todos quando convivemos em equipe.”
O sucesso de qualquer atividade depende de todos nós.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Escrever...

Mais um ano chega, e com ele vem também aquela velha vontade de manter esse blog, que pela milésima vez mudou de nome (rsrsrsrs) espero que seja definitivo.
O ano novo também trás mais desejos. Desejos de sucesso, de paz, de realizações e de muita coisa boa. Trás dúvidas, questionamentos, mas faz parte sempre...
Vou em busca de inspirações para manter vivo esse espaço. (Prometo) :) 

sábado, 11 de agosto de 2012

Não é que me incentivaram...

Ter um blog e mantê-lo é muito difícil. Mais fácil estava sendo usar outras redes para desabafar algumas coisas. E um dos assuntos que mais falo é sobre rotina doméstica, o fazer diário de atividades infindáveis, um ciclo trabalhoso, cansativo e engraçado. 
Alguém gosta desse tipo de postagem, Dona Marilene, mãe de uma grande amiga e que se tornou também uma. Não é que me incentivou a escrever... será que isso vai da certo? Não quero fazer por obrigação.. até porque por causa da rotina isso não seria nada fácil, mas sim por inspiração. E isso eu tenho de sobra. :)
Vamos ver no que vai dar..

Até breve!
Saudações

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Crise de Identidade...

Mudei novamente...
sabe coisas de fresquinhas...
acho que é isso!
:)

Mudei algo por aqui...

Pensei em mudar algo por aqui, para ver se me animo em escrever algo.
Geralmente meus pensamentos em escrever, só aparecem quando estou dirigindo.. parada no sinal.
O Sinal de trânsito me inspira!
Creio que colarei fotos de semáforos espalhados pela casa (deve surtir efeito).
Iniciei em mudar o design do blog, o título e até o endereço.
Agora isso aqui é 'sobre qualquer coisa' - o que bater na telha... sobre coisas que gosto!


quinta-feira, 22 de março de 2012

Fim de Férias...

...Quero mais.

Boa Noite! :)

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Vamos Carnavalizar???

RETALHOS DE CARNAVAL com a Cia. Pão Doce de Teatro.
Dias - 7 e 14 de Fevereiro às 19:30
Local - Teatro Dix Huit Rosado
Ingressos- 10,00 Inteira e 5,00 Estudante.

Chame sua turma e venham para a melhor prévia Carnavalesca de Mossoró!

domingo, 27 de novembro de 2011

Bolo Fofo

Postando aqui uma receita de Bolo Fofo, bem simples e fácil de fazer...
Na realidade foi a primeira receita de bolo que fiz, deu certo e estou salvando a receita aqui no blog para que eu nunca esqueça. E que sempre que eu quiser fazer eu venha aqui e confira a receita.. hiihhihi...


Ingredientes:
  • 2 xícaras de chá de açúcar
  • 1 xícara de chá de margarina
  • 2 gemas
  • 1 xícara de chá de maisena
  • 2 xícaras de chá de farinha de trigo
  • 1 xícara de chá de leite
  • 3 claras em neve
  • 1 colher de sopa de fermento em pó
  • 1 pitadinha de sal

Modo de Preparo

  1. Bata as claras em neve, misture o acúcar até ficar como um creme de suspiro
  2. Acrescente a mausena, o leite, o trigo e a margarina, as gemas
  3. Bata bem acrescente o fermento e o sal, bata mais um pouquinho, coloque em uma forma untada e leve ao forno médio pré aquecido por aproximadamente 30 minutos

sábado, 26 de novembro de 2011

Jazz Dance

Matéria bacana do site da Walmart - http://www.mundowalmart.com.br/jazz-dance-promove-bem-estar-e-senso-de-coletividade/ Vale a pena compartilhar.

- Difícil conhecer garotas que não se divertiram nas aulas de jazz durante a infância. Considerado também como exercício aeróbico, o estilo de dança traz inúmeros benefícios ao organismo: promove sensação de bem-estar, melhora a coordenação motora, aumenta a dinâmica, o controle, a noção de musicalidade e o senso de coletividade. “É benéfico não só para corpo, mas também para a mente”, afirma a professora Paula Romano, do Bello Ballo Studio de Dança, em Campinas.

Nascida da cultura negra, o estilo de dança surgiu no final do século XVIII, nos Estados Unidos, como uma mistura dos ritmos europeus associados aos hábitos dos africanos, que ainda incluíram banjo, palmas e sapateado aos batuques. “Os movimentos corporais do estilo foram influenciados pelo som”, diz Danilo Castorini, profissional da Escola Paulista de Dança, em São Paulo.

Os movimentos fortes e marcados, muitas vezes sensuais, são ritmados e caracterizados pelo isolamento do corpo - os quadris se mexem à parte do tronco, por exemplo. E foi nos palcos da Broadway que esse ritmo, inspirado nos passos de balé, se firmou. “É uma expressão artística que exige o drama teatral”, conta o instrutor. O joelho e a ponta do pé esticados, assim como as pernas alongadas são herança da linha clássica – assim como o corpo: magro e esguio para promover mais leveza na movimentação. “Um profissional deve conhecer um pouco de tudo para reunir as mais variadas referências ao elaborar uma coreografia”, complementa.

Com o passar do tempo, o jazz evoluiu e gerou vertentes: free style, modern, soul, rock, lírico, contemporary – sendo mesclado também ao contemporâneo e ao hip hop, muito presente nos videoclipes das divas pop. Crianças até sete anos são introduzidas à dança por meio do balé clássico, que pede movimentos precisos, mas delicados ao mesmo tempo.

“Por ser baseado na música atual, o jazz é mais recomendado a partir dos oito anos, chamando mais atenção das pré-adolescentes. Como os saltos e os passos têm impacto maior, não é tão interessante para as menores”, garante Paula.

Dependendo do estúdio, duas aulas por semana custam cerca de R$ 200 por mês – o número de alunos varia de 8 a 15. Para começar, é só providenciar sapatilha meia-ponta, collant e legging. “Além de ajudar a emagrecer, se acompanhada de hábitos alimentares saudáveis, a dança causa sensação de bem-estar”, conclui Danilo. -