Páginas

terça-feira, 14 de julho de 2009

Dor do Parto

Acho que não existe nada parecido com a dor do parto. Me lembro de quando estava na sala de espera para dar luz a Luna, a enfermeira disse que Nossa Senhora passa a mão em nossa cabeça para agente esquecer da dor. Não tem como explicar.. é sentir e pronto!
Ai encontro essa matéria falando que a dor do parto oferece vantagens, segundo especialistas.
Eis a Reportagem:


da Efe, em Londres

A dor do parto tem uma série de efeitos benéficos para a mulher e para o bebê que são anulados quando a paciente opta por dar à luz com anestesia epidural, embora a técnica seja útil e imprescindível em alguns casos.

É o que afirma Denish Walsh, obstetra e professor da Universidade de Nottingham, em artigo publicado na revista "Evidence Based Midwifery" no qual explica que a dor é um rito de transição que ajuda a regular o parto.

Segundo Walsh, além de contribuir claramente com a fisiologia do parto, ajuda a fortalecer o vínculo entre a mãe e o filho e prepara a mulher para as responsabilidades da maternidade.

Sem menosprezar o valor da anestesia epidural, que pode ser fundamental em alguns casos, o professor aponta que seu uso aumentou muito nos últimos 20 anos, apesar da disponibilidade de outras alternativas menos invasivas contra a dor.

Entre as vantagens de optar por um parto natural, além de razões médicas, está o prazer desse rito fisiológico que culmina com o nascimento do bebê, junto ao fato de que a própria dor induz à liberação de endorfinas, que dão uma sensação de euforia e bem-estar, destaca o especialista.

Walsh afirma que alguns estudos demonstraram que a anestesia epidural aumenta a probabilidade de ter que induzir as contrações com tratamentos hormonais e é mais frequente o uso de fórceps para ajudar a saída do bebê.

No Reino Unido, o uso da anestesia aumentou 17%, entre 1989 e 1990, e 33%, de 2007 para 2008.

O professor recomenda ao Serviço Nacional de Saúde (NHS, na sigla em inglês) outras alternativas de alívio à dor como ioga, massagem e tratamentos em piscinas.

Fonte:http://www1.folha.uol.com.br/folha/equilibrio/noticias/ult263u594286.shtml

É isso.

Xeros

2 comentários:

  1. Segundo uma enfermeira obstetra, que trabalha em uma maternidade na cidade onde moro, existe um risco muito grande com relação à anestesia epidural e realçou, ainda, sua inutilidade.

    Conforme afirmou, a anestesia é aplicada logo que o bebê está para sair, momento em que a dor naturalmente cessa. Portanto, a anestesia, para fins de alívio da dor, torna-se dispensável. Outro fator, que aumenta o risco inclusive de morte ao bebê, é o fato de a anestesia anular a sensibilidade, fazendo com que a mulher não faça força para o bebê sair. Sem a ajuda da mãe, das contrações necessárias, a saída do bebê pelo canal vaginal torna-se dificultada. Houve uma morte por isso mesmo, na maternidade daqui. Claro que ninguém disse que foi este o motivo.

    Acredito no significado psicológico, muito mais que fisiológico, da dor para muitas mulheres que dão à luz. Apesar de jamais ter tido esta dor, pois nunca tive filhos, creio ser esta dor bastante desejada por várias mulheres, porém temida por várias outras. Tudo vai depender de como a própria pessoa sente-se sendo mãe, bem como o significado da maternidade para si própria.

    Um beijo!

    OBS: o blog ficou lindo com o novo layout!

    ResponderExcluir
  2. Agora também estou te acompanhando! Eu também tenho um blog pessoal só para falar besteiras fora da dança, vê no meu perfil... beijocas Rayzel.

    ResponderExcluir